NOSSA HISTÓRIA

Os primeiros moradores, oriundos do Piauí e dos município vizinhos, chegaram à região em busca de terras para a lavoura. A 2 km aproximadamente da margem esquerda do rio Balsas, havia uma aldeia de índios, com os quais estiveram em litígio. Após uma série de escaramuças, os silvícolas abandonaram o local.

Tendo encontrado na aldeia uma imagem de São Felix de Valois, deram os novos moradores, ao povoado que surgia, o nome de São Felix de Balsas. Tal imagem que, segundo alguns, era adorada pelos índios, parece haver sido deixada na região por uma pessoa oriunda de Oeiras no Piauí, grande devota do Santo e que fugiu dos silvícolas.

Os moradores dedicaram-se ao cultivo do arroz, milho, feijão e mandioca e também à extração da amêndoa do babaçu. Surgiram, logo, as primeiras casas de comércio, sendo uma delas de propriedade do senhor Francisco Martins Santos, até hoje residente no município. A seguir, surgiram novas moradias e foi construída a igreja em homenagem ao Santo Padroeiro.

O crescimento da povoação processou-se lentamente, fato que até hoje se verifica, e que parece haver sido causado pela localização da sede, situada a 42 km da BR-230. Apesar de todas essas dificuldades, os senhores Antônio Martins Macedo, vulgo Tonic Martins, Augusto Martins e Manoel Pereira da Silva lutaram pela emancipação do povoado.

Gentilíco: são-felense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de São Félix de Balsas, pela lei provincial nº 13, de 08-051835, subordinado ao município de Loreto.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de São Félix de Balsas figura no município de Loreto.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.

Elevado à categoria de município com a denominação de São Félix de Balsas, pela lei estadual nº 1852 de 09-11-1959, desmembrado de Loreto. Sede no antigo distrito de São Félix de Balsas. Constituído do distrito sede. Instalado em 12-4-1961.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Outras características -

Em novembro, é realizado o festejo de São Félix(padroeiro da cidade), muito tradicional e reúne muitos turistas, inclusive do exterior.

Fonte:IBGE




HINO DA CIDADE


LEI DE CRIAÇÃO

MUNICÍPIO DE SÃO FELIX DE BALSAS

Lei n. 1.852 DE 9 de novembro de 1959.
Cria o município de SÃO FELIX DE BALSAS, e dá outras providencias.

 

O GOVERNADOR DO ESTADO DO MARANHÃO
Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte lei:

Art. 1º - É criado o município de “São Felix de Balsas”, constituído do atual distrito de São Felix de Balsas, dô município de Loreto, de acôrdo com os limites fixados na presente Lei.

Art. 2º - O município de “São Felix de Balsas” terá a categoria de têrmo judiciário e ficará subordinado à Comarca de Loreto.

Art. 3º - É elevada a categoria de cidade e convertida em sede do município com a denominação de “São Felix de Balsas”, a atual vila de São Felix de Balsas.

Art. 4º - O município é constituído de um só distrito.

Art. 5º - São os seguintes os limites do município do município de São Felix de Balsas.

LIMITES INTERMUNICIPAIS

I – Com o município de LORETO:

Começa da foz do riacho Maximiano, no rio Itapecuru, seguindo à montante pelo talvegue do dito riacho até suas cabeceiras de onde em linha reta segue até o lugar Paciência, ficando êste para o município de Loreto, de onde segue as cabeceiras do riacho Areia, seguindo pelo seu talvegue à jusante até sua foz no rio das Balsas; de onde subindo pela margem direita do rio das Balsas até encontrar a barra do riacho Jacu, de onde por seu talvegue à montante até sua cabeceira; de onde em linha reta até o lugar Douradas, na margem esquerda do rio Parnaíba, ficando êste lugar pertencendo ao município de São Felix;

II – Com o município de BENEDITO LEITE:

Começa no lugar Porteira a margem esquerda do rio Parnaíba, de onde segue em linha reta à Lagôa da Parnaíba, ficando esta para o município de Benedito Leite; de onde segue em linha reta a cabeceira do Vão de São Jerônimo, por êste abaixo, por seu lado esquerdo até encontrar o rio Balsas, por êste rio acima, por sua margem direita até confrontar com a foz do riacho “Aldeia”; segue pelo talvegue do dito riacho, à montante, até sua cabaceira; daí segue por uma linha reta até o riacho Curimatá, subindo por êste até sua cabeceira de onde segue em linha reta até a foz do riacho Bôa Esperança a margem direita do rio Itapecuru;

III – Com o município de MIRADOR:

Começa no lugar Domadas, descendo pelo rio Parnaíba, por sua margem esquerda, até o lugar Porteiras.

Art. 6º - A presente Lei entrará em vigôr a partir de 1º de janeiro de 1961; revogadas as disposições em contrário.

Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conhecimento e execução da presente lei pertencerem que a cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nela se contém. O Secretário de Estado dos Negócios do Interior, Justiça e Segurança a faça publicar, imprimir e correr.

Palácio do Governo do Estado do Maranhão, em São Luís, 9 de Novembro de 1959, 137º da Independência e 70º Republica.

José de Mattos Carvaleo
José Ramalho Burnett da Silva


PROJETO DE LEI Nº 351, ENVIADO PARA OFÍCIO Nº 747/157 DE 23/10/59.
 

 

MUNICÍPIO DE SÃO FELIX DE BALSAS

Limites do distrito de SÃO FELIX DE BALSAS, conforme Lei nº 269 de 31 de dezembro de 1948.

DIVISAS INTERDISTRITAIS

Começa no ligar do marco, à margem direita do rio Itapecurú, no ponto terminal da reta sul-norte que parte da cabeceira do riacho, Batateira; continua pelo talvegue desse riacho, a jusante, até sua foz à margem esquerda do rio Balsas; por um alinhamento reto, à cabeceira mais alta do riacho Santo Estevão, e pelo talvegue deste à jusante, até sua foz, à margem esquerda do rio Parnaíba.
 

 

Este texto não substitui o original publicado em imprensa oficial.



LEI DE CRIAÇÃO
LEI DE CRIAÇÃO - LEI 269

Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!